Uncategorized

O começo de todas as aventuras

O começo de todas as aventuras
Há alguns anos atrás, ainda novinhos 29 eu e ela 24 passávamos férias num parque de campismo na costa alentejana e iamos sempre acompanhados dos pais da Katia que se juntavam com um casal cujo homem já dos seus 56 anos era colega de trabalho do meu sogro e normalmente tinham a tenda ao lado da nossa. Fomos reparando que esse colega do meu sogro sempre que estava perto de nós, de vez em quando ajeitava o caralho nos calções e até comentamos eu e a Kátia que secalhar tinha algum problema e riamo-nos. Um belo dia fomos dar uma volta por algumas praias mais desertas para passear e namorar um bocado, num desses dias, estavamos deitados com a Katia em topless e vimos passar o nosso amigo todo nu a dar a sua voltinha pela praia, fez-nos adeus e continuo mais para a frente e eis que a Katia comenta, viste o caralho dele? eu rindo respondi, oh sua golosa, foste logo olhar para o caralho do homem, pois não admira que ele o esteja sempre a ajeitar nos calções e tu deves dar-lhe tesão, ela respondeu-me, não é nada disso!!!, Pois acredita que é isso, disse eu e ficamos por ali. Quando chegámos à tenda, fui lá dentro para ir buscar as toalhas para irmos para o banho de água doce nas casas de banho e cá fora estavam os dois casais mais velhos a jogar às cartas e reparei pela janela da tenda que ele de vez em quando olhava disfarçadamente para o cu da Katia que andava cá fora a arrtumar umas coisas. Fodos para as casas de banho e comentei com a Kátia. o Sr Paulo não tirava os olhos do teu cu, parecia que o estavas a provocar ao impinar o cu daquela maneira. Oh pá não é nada, ele ten idade para ser meu pai,disse ela, pois está bem mas isso não impede de lhe dares tesão. Lá fomos para o banho e depois regressámos a tenda para ajudar a preparar o jantar e jantarmos todos juntos. Terminado o jantar a Kátia disse que ia ao café comprar tabaco e eu fiquei por ali mesmo mas uns 5 minutos depois o Sr. paulo levantou-se e disse que ia à casa de banho. Passádos uns 10 minutos regressa a Kátia um bocado séria mas tb não lhe perguntei nada. o nosso vizinho passado um bocado regressou e disse que tinha encontrado uns amigos e que tinha ficado a conversar, nada de anormal na situação. Quando nos fomos deitar, diz ela assim, não fiques chateado nem digas~, nem faças nada mas o Paulo apanhou-me no caminho e espetou-me um valente beijo na boca e disse que eu lhe dava uma tesão enorma, afastei-o e disse-lhe que não voltasse a fazer isso. Acreditem ou não, foi o principio de tudo o que vivemos, subiu-me um arrepio enorme e uma tesão indiscritivel e disfarçadamente e baixinho para ninguém ouvir disse para ela: o cabrão do velho tem uma tesão louca por ti, ainda lhe tens que fazer um broche. ès maluco, respondeu-me ela, retorqui, então: tu não adoras fazer broche? secalhar até gostava de mamar naquele caralho grosso que ele tem. ela riu-se e mandou-me calar. Dois dias depois tinhamos voltado para a praia deserta para fazer um bocado de nudismo mas ficámos mais perto das dunas e perguntei-lhe, então o Paulo nunca mais tentou nada? Ela respondeu-me, não mas perguntou-me se não vinhamos mais para a praia deserta e eu disse-lhe que hoje vinhamos fazer um bocado de nudismo. Respondi-lhe: Ah disseste-lhe isso, parece que estás a querer festa…dàs cabo do homem com tesão, respondeu-me rindo. Não sejas maluco… Só não acerto nos numeros da lotaria, por volta das 5h da tarde lá vinha ele todo nu com o marsápio a bailar de um lado para o outro, ela nem deu por se aproximar e estava de pernas abertas a apanhar sol na cona pentelhuma mas aparadinha e cuidada. Então pessoal, disse ele, está tudo bem? ela ao ouvi-lo sentou-se de rompante mas deixou os pés cruzadas , não deixando de mostrar a cona ao nosso amigo. Diz ele, a esta hora é que se está bem na praia e principalmente nesta que não tem ninguém, hoje vou al´para cima para apanhar umas camarinhas que adoro aquilo. Diz a Kátia de rompante, eu tb vou que tb gosto imenso de camarinhas, digo eu, então vão lá que eu tenho que ir à agua que está muito calor. Diz o Paulo, anada tb, respondi, não, não, vão voces que eu vou ao banho. A Kátia olhou para mim com ar malicioso e disse, vou só vestir o bikini e mesmo sentada vestiu-o e levantamo-nos, fui ao mar para dar um mergulho e eles lá foram apanhar camarinhas, regrssado do banho de mar, assumei-me à parte de cima das dunas para ver se os via. Por detrás de um bocado de mato só o estava a ver a ele, fui devagar andando todo nu e com a tesão a subir-me e o caralho a levantar-se, imaginado que ela o podia estar a mamar. Bem pensado ao chegar de fininho ao pé deles, lá estava ela a mamar golosamente no marsápio o Paulo. Sim senhora, belo serviço, aproveita e mama nos dois à vez que tu adoras um bom broche. Ficaram um bocado atrapalhados mas com as minhas brincadeiras riram-se e ele mais descontraido disse eu adoro que me mamem e a Joana (mulher dele) não gosta nada de fazer.broches. Lado a lado lá ficámos com os caralhos à disposição da Kátia e lá foi mamando num e noutro, até que o paulo disse, espera aí, vou deitar-me para a Kati me mamar e tu dá-me o teu que eu tb gosto de mamar um bom caralho, ficámos um bocado perplexos mas no meio de tanta tesão e tanta experiencia nova embalámos naquilo com ele a mamar-me enquanto era mamado pela Katia, entretanto a Katia tira o bikini e senta-se em cima dele dizendo que o quer enterrar na cona, respondemos em coro ele e eu, isso senta-te e enterra-o todo, fode esse caralho que está a precisar de uma cona como a tua, ele prestes a explodir começa a querer meter-me o dedo no cu e a chupar forte para eu lhe dar o leitinho todo na boca, não aguentei até ele se esporrar e enchi-lhe a boca de esporra, levantei-me e ele puxou a Katia para lhe dar um beijo na boca e passar-lhe o meu leite para a boca dela, nunca me tinha vindo na boca dela e foi a primeira vez que ela provou leite de caralho, através da boca de outro mas provou e gostou. Com o beijo na boca da Kátia ele não aguentou e veio-se na cona dela e pelos vistos estava cheio que ela ao levantar-se, ainda de pernas abertas, deixou cair uma grande parte da esporra dele. Eh pá Paulo, estavas cheio, ele respondeu-me que desde que tinha vindo para o campismo ainda não tinha dado nenhuma foda. Dei a mão à Katia e disse: vamos tomar um banho para arrefecer. fomos os 3 à água e disse ao Paulo. amanhã voltamos, no mesmo sitio à mesma hora, isto é um segredo dos 3 e não vai sair daqui.e nem precisa de ser às escondidas Aos 24 anos a Kátia tinha tido o seu segundo homem:

Bir cevap yazın

E-posta hesabınız yayımlanmayacak. Gerekli alanlar * ile işaretlenmişlerdir

antep escort izmir escort tuzla escort şişli escort